Você sabe o que é educação STEAM e a sua influência hoje?


Nós brasileiros somos mundialmente conhecidos por sermos um povo criativo e colaborativo. As metodologias STEAM (acrônimo em inglês para Ciência, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática) incentivam justamente a criatividade, inovação e a colaboração, tendo assim grande sinergia com nossa cultura. As crianças da geração atual lidam com tecnologia em seu cotidiano, sendo comum para elas interagir com ambientes e assistentes virtuais.

O aprendizado STEAM aplica conteúdos de matemática, ciências e tecnologia para resolver problemas do mundo real por meio de atividades práticas de aprendizado e projetos criativos. Os benefícios deste aprendizado são muitos como, por exemplo: sentir-se seguro para expressar ideias inovadoras e criativas; sentir-se à vontade com abordagens práticas; entender como as áreas de engenharia, matemática e artes trabalham juntas; tornar-se cada vez mais curioso sobre o mundo ao seu redor e, principalmente, sentir-se capacitado para mudá-lo para melhor.

O mercado de trabalho atualmente vem demandando por profissionais com competências em múltiplas áreas do conhecimento. Os modelos educacionais existentes vêm estudando como se adequar para atender a essas demandas e preparar profissionais com múltiplas habilidades. É nesse quesito que a educação STEAM vem ganhando força. A mente criativa promove um ambiente mais aberto e acolhedor, incentivando o diálogo que leva a colaborações efetivas e ao sucesso do grupo.

Um currículo abrangente com STEAM ajuda a maximizar as funções cerebrais esquerda (pensamento analítico) e direita (pensamento imaginativo) promovendo o desenvolvimento da imaginação do aluno, aprimorando suas habilidades para inovar, colaborar e pensar “fora da caixa”. Além disso, ajuda a cultivar a capacidade dos alunos serem flexíveis e adaptáveis, que mostram ser úteis nos tempos de rápida mudança que vivemos hoje.

A educação STEAM baseia-se na aprendizagem baseada em projetos/problemas como abordagem principal de ensino. Desta forma, os alunos são orientados a cooperar uns com os outros e as atividades práticas irão completar o tema do projeto ou resolver problemas encontrados no cotidiano. Com isso a educação STEAM pode diminuir a distância entre o conhecimento existente de cada aluno e suas habilidades vocacionais, aumentando a competitividade no mercado de trabalho. A estimulação do desenvolvimento através do trabalho em grupo promove a divisão de tarefas, a complementação de habilidades, a comunicação e a empatia.

No contexto STEAM, a ciência ajuda as pessoas a entender as leis do mundo; a engenharia e a tecnologia as ajudam a transformar o mundo de acordo com as demandas sociais; a arte ajuda a enriquecer o mundo de uma maneira boa; e a matemática fornece as ferramentas estruturais para as pessoas desenvolverem e aplicarem ciência, engenharia, arte e tecnologia nos métodos e ferramentas de análise. É com as ferramentas da tecnologia que podemos entender mais profundamente a ciência, entender as artes e a matemática, fazendo com que nos envolvamos mais profundamente em pesquisa e desenvolvimento de engenharia.

A educação STEAM é oriunda do STEM, adicionando A de artes. A arte cobre uma grande gama de disciplinas (assuntos) relacionados à humanidades, incluindo: estudos sociais; linguagens; música; artes físicas e performáticas. Nos últimos dois anos alguns grupos iniciaram o movimento para inserir o R referente à redação. Desta forma a sigla passaria a ser STREAM (ciência, tecnologia, leitura e escrita, engenharia, artes e matemática). A ênfase na literatura é de grande importância para os componentes de ciências, engenharia e educação técnica com o objetivo de potencializar alta qualificação profissional na redação de relatórios, materiais experimentais e comunicação com a sociedade. Outra vertente de estudiosos querem inserir mais um E referente a ética, ficando STREEAM ou STEEAM. A ética também é considerada como fundamental para que os desenvolvedores de tecnologia levem em consideração a privacidade, o meio ambiente e, principalmente, a empatia.

Palavra STEAM com seta indicando que mudou para STREEAM

O ensino de STEAM coloca o “Quem e Por quê?” das humanidades e artes no “O que e Como?” da engenharia e tecnologias, fazendo com que as pessoas e a ética façam parte do processo de inovação, inclusive desempenhando o papel central nela. Dessa forma, a educação essa nova vertente pode melhorar a capacidade de raciocínio lógico e indutivo dos alunos, estimulando-os a desenvolver problemas práticos com flexibilidade e adaptabilidade. A educação STEAM permite que os estudantes se afastem da fragmentação do processo de conhecimento e memorização, orientando os alunos a concatenar o conhecimento entre diferentes disciplinas.

O ensino do STEAM vem começando a ganhar força diante do cenário tecnológico que vem se formando desde 2010. A grande diversidade tecnológica faz com que exista uma maior necessidade de transformação no ensino atual. Esta transformação possibilita um maior empoderamento das novas gerações. Nesse cenário há o risco de ocorrer uma enxurrada de inovações que, por vezes, pode acabar sendo mal aproveitada por conta da limitação da própria sociedade com tantas novidades disponíveis.

Num futuro próximo a inteligência artificial, a internet das coisas e a automação irão alterar procedimentos de trabalho em uma gama enorme de profissões. Médicos, advogados, professores, arquitetos, engenheiros etc terão formas diferentes de atuar, se comparado com os dias atuais. Ao mesmo tempo novas profissões surgirão. Preparar nossas crianças para este novo cenário de profissões é fundamental e o STEM, STEAM, STEEAM ou STREEAM vêm para auxiliar nesse processo de transformação que nossa sociedade vem passando.

Referências

DEBROY, A.; What is STREAM Education & Why is It Gaining Popularity?; http://edtechreview.in/trends-insights/insights/2968-what-is-stream-education; Outubro, 2017.

FERRARI, P.; TRENDS IN LEARNING: STEM, STEAM, STREAM… A BATTLE OF ACRONYMS?; http://www.capstan.be/trends-in-learning-stem-steam-stream-a-battle-of-acronyms/, Julho, 2018

TAYLOR, P. C.; Why is a STEAM curriculum perspective crucial to the 21st century?; https://research.acer.edu.au/cgi/viewcontent.cgi?article=1299&context=research_conference, 2016

ALFANO, B.; Professor defende inclusão de discussões sobre empatia e ética na formação STEAM; https://oglobo.globo.com/sociedade/professor-defende-inclusao-de-discussoes-sobre-empatia-etica-na-formacao-steam-1-23260451; Novembro, 2018


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *