Por que ensinar eletrônica para crianças e adolescentes?

Nos dias atuais as crianças nascem em um mundo onde a convivência com eletrônicos é cotidiana e tende a aumentar. Quais são as vantagens de estimular nossas crianças e adolescentes a aprenderem eletrônica? No que consiste estudar eletrônica? O que esse estudo contribuirá para o futuro deles?

Quando era pequena lembro de falar com meu pai que queria ser engenheira eletrônica. Acho que minha vontade era por conta dele montar uns projetos bem legais que vinham nas revistas Saber Eletrônica. Quando estava perto de entrar para o segundo grau (atual ensino médio) fiquei atenta para não perder a chance fazer um curso técnico. Consegui entrar, mas cursei apenas o primeiro ano por conta de uma mudança de cidade que minha família fez. No entanto, aquele ano de curso técnico foi suficiente para ter certeza que gostava mesmo da eletrônica. Ao final do ensino médio entrei para a faculdade de engenharia eletrônica.

De início confesso que senti uma diferença enorme com relação ao ano de curso técnico que havia feito. As aulas de cálculo e física dominavam o currículo. Eletrônica mesmo só ia ver na metade da faculdade. Confesso que isso me desanimou. Não via a hora de finalmente ter aulas de eletrônica e montar coisas tão legais quanto aquelas que meu pai montava.

Durante minha infância, na década de 80, não existiam cursos de robótica, eletrônica ou criação de games. Para aprender sobre como funcionavam os videogames ou tocadores de música tínhamos que entrar para um curso técnico ou fazer faculdade. Não haviam opções simples para uma criança ou adolescente aprender sobre como funcionavam as tecnologias que surgiam.

Eletrônica para crianças e adolescentes

A eletrônica quando ensinada no curso técnico ou na graduação visa a atuação profissional do aluno após o término do curso. Por esse motivo é feito um embasamento dos conceitos da física, química e matemática necessários para compreensão dos conteúdos específicos da área. A abordagem para crianças e adolescentes é oposta a esta, onde a eletrônica, mecânica e computação, por exemplo, são usadas como ferramenta para entender os conceitos da física, química e matemática.  

Aprender eletrônica quando criança ou adolescente, além de auxiliar na aprendizagem das disciplinas curriculares pode também: desmistificar o processo de como as tecnologias são criadas; propiciar o uso consciente dos equipamentos; e motivá-los a serem desenvolvedores de tecnologia no futuro. Normalmente nesse tipo de abordagem os alunos são motivados a construir projetos usando a eletrônica como uma das ferramentas.  

A eletrônica está inserida dentro da grande área da elétrica. Assuntos relacionados com energia, eletricidade, automação, telecomunicações, robótica, fotônica e eletrônica fazem parte desta grande área. Na eletrônica lidamos com baixas energias ou baixas correntes e tensões.

O estudo da eletrônica envolve, por exemplo: o projeto e construção de circuitos; transdução de sinais; aquisição de sinais; filtragem de sinais; digitalização de sinais; armazenamento de sinais; reconhecimento de padrões em sinais; amplificação de sinais; transmissão de sinais; projeto de sistemas; observação de sistemas; controle de sistemas; automatização de sistemas; redução de ruídos em sinais e sistemas etc. Ou seja, na eletrônica estudamos muito os sinais e os sistemas. O estudo da eletrônica envolve também o conhecimento em outras áreas como, por exemplo: a computação; a geração de baixas energias; fotônica; robótica e telecomunicações.

Consumo Consciente

Nos dias atuais crianças e adolescentes estão expostos a dispositivos eletrônicos em seu cotidiano. Celulares, tablets, TVs, videogames, tocadores de música são alguns exemplos. Aprender sobre o impacto da construção destes dispositivos na natureza, bem como do descarte responsável torna-se imprescindível para essa geração.

O consumo de eletrônicos de forma consciente é assunto importante. A quantidade de lixo eletrônico vem aumentando ao longo dos últimos anos, gerando um impacto na natureza. Além dessa conscientização também é importante que crianças e adolescentes conheçam os impactos que os eletrônicos têm em sua saúde. Dependendo de como alguns equipamentos são utilizados podem afetar os sistemas cognitivo, visual e auditivo, por exemplo.

Outro aspecto relevante é com relação à ética. Torna-se cada vez mais importante dialogar sobre o uso da tecnologia para bullying, privacidade e segurança. Os eletrônicos fazem parte do nosso dia a dia, sendo nosso aliado em diversos aspectos, porém também tendo efeitos negativos. É importante que crianças e adolescentes tenham consciência dos diversos impactos que o uso dos eletrônicos podem causar a si e aos amigos, podendo se proteger e não se expor a alguns perigos.

Habilidades para o futuro mercado de trabalho

Nos últimos anos ouvimos muito falar sobre novas habilidades e competências para um mercado de trabalho cada vez mais conectado e dependente de eletrônicos. A evolução da inteligência artificial, automação, robótica, gerações wireless; realidade aumentada, big data e internet das coisas promete mudanças consideráveis nas formas de trabalho. Estas novas ferramentas irão nos auxiliar em diversos aspectos como, por exemplo, nas tarefas repetitivas (reduzindo-as) e na redução do deslocamento físico (menos engarrafamentos).

O trabalho humano tende a ficar cada vez mais integrado com o de máquinas. Com isso nós poderemos focar nossas atividades em tarefas criativas. Provavelmente iremos trabalhar em grupos multidisciplinares e em colaboração um com outro.

O estudo da eletrônica, robótica e pensamento computacional está diretamente relacionado com os dispositivos automáticos e inteligentes do futuro. As habilidades principais que podem ser abordadas são: saber orientar clientes diante da vasta gama de produtos e serviços existentes; usar inteligência artificial para julgamento e tomada de decisões; fortalecer habilidades interpessoais através do desenvolvimento de projetos em equipe; trabalhar a criatividade; capacidade de resolver problemas novos e indefinidos em ambientes reais.   

Conclusão

A eletrônica é encantadora em qualquer idade. Acompanhar os avanços tecnológicos é necessário e imprescindível. Ter conhecimento sobre como a tecnologia pode ser usada para potencializar nossa atuação profissional é de extrema importância. O ensino da eletrônica pode acontecer em diversos níveis, sendo: maker, técnico e profissional. No ensino maker é feita a abordagem mais superficial dos conceitos técnicos, onde não são abordados cálculos científicos nos projetos. No ensino técnico e profissional a abordagem é feita de forma mais aprofundada com embasamento nos conceitos de física e matemática para os cálculos de projeto. Independente da idade qualquer um dos níveis de ensino trazem ganhos de habilidade para o mercado de trabalho.

Ficou interessado em estudar eletrônica?! Conheça nossos cursos clicando aqui!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *